domingo, 18 de fevereiro de 2018

Empatado em 1 a 1, clássico foi encerrado por falta de jogadores suficientes do Vitória em campo




Fonte: Site oficial do Bahia
Edição: Jorge Luiz da Silva.
Imagens: Esporte Clube Bahia.com.br
Salvador, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)





O primeiro Ba-Vi da temporada 2018, neste domingo (18), no Barradão, não teve 90 minutos de disputa e foi encerrado no meio do 2º tempo, pela falta de jogadores suficientes em campo por parte do Vitória. O jogo estava empatado em 1 a 1 e o resultado final do clássico será decidido posteriormente. 

O Regulamento Geral das Competições da CBF, em seu artigo 56, parágrafos 3 e 4, indica que: “§ 3º – Após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa. § 4º – O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3 x 0) para a equipe adversária”. 






Em campo, o Tricolor começou bem o clássico, pressionando o adversário em seu campo de defesa, e criou chances de abrir placar, sobretudo numa grande cabeçada de Kayke, forçando uma ótima defesa de Fernando Miguel. 

Mas quem saiu na frente foi o Vitória. No lance do gol, aos 33, Yago ganhou com a mão uma dividida com a zaga do Esquadrão, e no desenrolar, a bola sobrou para Denílson, que chutou para uma primeira defesa de Douglas, e fez o gol no rebote. 





Logo na largada do 2º tempo, o Bahia chegou ao empate após um escanteio, num toque de mão de Uillian Corrêa dentro da área. Na cobrança do pênalti, aos 4 minutos, Vinícius deslocou o goleiro e empatou o jogo.

Na comemoração, uma briga generalizada foi iniciada e após mais de 10 minutos de paralisação, sete atletas foram expulsos: os reservas Edson e Rodrigo Becão, e os titulares Lucas Fonseca e Vinícius, do Bahia, além de Denílson, Rhayner e Kanu, do Vitória. 





O jogo foi reiniciado, e aos 33, mais duas expulsões contra o Vitória. Primeiro, Uillian Corrêa segurou Zé Rafael e recebeu seu 2º amarelo. Na cobrança da falta, Bruno Bispo chutou a bola para longe e também foi advertido pela 2ª vez na partida. Assim, com apenas sete atletas em campo do Rubro-Negro, o árbitro Jaílson Macedo de Freitas finalizou o duelo, como indica a regra do futebol. 







segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Lemuel, um jovem talento à espera de uma oportunidade



Texto e edição: Jorge Luiz da Silva.
Imagens e informações Enviadas por Rosinaldo Souza
Salvador, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)





Rosinaldo Souza está nos apresentando o seu filho, Lemuel, considerado por muitos, um bom jogador de futebol, que espera uma oportunidade em um time profissional.

Dados:

Nome Completo: Lemuel do Nascimento Oliveira
Nascimento: 10/07/1997
Naturalidade: Guarabira-Paraíba;
Posição em campo: Meio campista ou meia atacante;
Equipes que atuou: Apenas em uma universidade americana, quando fez um intercâmbio de 05 meses. Ele é amador.







Ele entrou em contato conforme explicação dada por ele mesmo:


Achei sua assessoria no site da CBF em uma escolha inopinada. Mesmo o senhor aposentado, ainda com certeza tem contatos bons.

Nessa caminhada tentando conseguir uma pessoa que abra as portas, encontramos muitos picaretas e aproveitadores.

Sempre querendo tirar vantagem financeira, só que o grande problema é o depois.

Ele já está com 20 anos e dizem que está velho aí o senhor imagina a dificuldade de conseguir alguma coisa.





Tendo em vista vocês serem profissionais da área, gostaria que analisassem um pequeno vídeo do meu filho. A ideia é saber se o rapaz tem jeito de jogador, ele esteve nos Estados Unidos no ano passado fazendo alguns jogos por uma universidade de lá. Favor dá uma olhada no vídeo abaixo e me dá um retorno de sua avaliação.

Clique no link abaixo para assistir o vídeo


https://www.youtube.com/watch?v=uw8d0WhRXkQ









segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Dana White garante superluta entre Amanda Nunes e Cris Cyborg no UFC



Fonte: Super Esportes
Fotos: AFP
Edição: Jorge Luiz da Silva.
Salvador, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)




Dana White se empolga com desafio de Amanda Nunes e quer superluta; 
Cyborg se mostrou contrária.
Chefão se anima com possibilidade de duelo entre brasileiras campeãs

UFC
A superluta entre Cris Cyborg e Amanda Nunes está mais próxima de ser realizada no Ultimate Fighting Championship. O presidente do UFC, Dana White, se empolgou com a possibilidade e afirmou que o embate entre as brasileiras campeãs é a ‘luta a ser feita’ em 2018. 

“Amanda Nunes quer enfrentar ela. Amanda Nunes quer enfrentar Cris Cyborg. Esta é a luta a ser feita. Esta é a luta que eu vou fazer. Esta é a luta. Amanda Nunes é uma golpeadora grande, forte e poderosa. Acredito que o jogo dela casa muito bem com a Cyborg. Acredito que é uma luta divertida. Esta é a luta a se fazer”, reiterou o dirigente, em entrevista ao Yahoo Sports. 

Campeã do peso galo, com duas defesas bem-sucedidas de cinturão, Amanda Nunes começou a desafiar Cris Cyborg no fim do ano passado. Já campeã do peso pena disse que não gostaria de enfrentar uma brasileira, mas se colocou aberta à negociação. A curitibana, que defendeu o título pela primeira vez com triunfo sobre Holly Holm, no UFC 219, no fim de semana passado, ainda cobrou a valorização da categoria recém-criada e criticou a subida de lutadoras somente para a disputa do cinturão da categoria até 66kg. 

Dana White, no entanto, não considerou os argumentos de Cyborg válidos. “Quando você é campeã mundial, não importa se você vai enfrentar uma brasileira, uma alemã, uma porto-riquenha, uma cubana, quem quer que seja. Você enfrenta quem quer que tente tirar o seu cinturão”, decretou.








domingo, 10 de dezembro de 2017

Virna Jandiroba, campeã mundial invicta



Fonte: Superlutas.com.brs
Edição: Jorge Luiz da Silva.
Imagens: Google.com.br (Arquivo ASES)
Serrinha, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)




Nome: Virna Jandiroba
Apelido: Carcara
Cartel: 12 Vitórias
0 Derrotas
Vitórias: 0 Nocautes (0%)
10 Finalizações (83%)
2 Decisões dos juizes (17%)
0 Outras (0%)
Derrotas: 0 Nocautes (0%)
0 Finalizações (0%)
0 Decisões dos juizes (0%)
0 Outras (0%)
Equipe:
Altura: 157.48 cm
Peso: 52.16 kg
Data de nascimento: 30/05/1988
Cidade: Serrinha, Bahia
Pais: Brasil





Adversário
Método
Evento
Data
R
T
Finalização (Arm-lock)
Invicta FC 26 - Maia vs. Niedzwiedz
08/12/17
1
2:5
Decisão (Dividida)
F2N - Fight 2 Night 2
28/04/17
3
5:0
Finalização (Arm-lock)
Imperium - MMA Pro 12
26/11/16
1
0:4
Finalização (Rear-Naked Estrangulamento)
F2N - Fight 2 Night
04/11/16
1
2:2
Finalização (Rear-Naked Estrangulamento)
FO - Fight On 3
30/07/16
1
2:3
Finalização (Arm-lock)
MNA MMA Circuit 2 - MNA MMA Circuit 2016
09/04/16
2
3:2
Decisão (Unânime)
O Rei da Arena Fight - The King of Arena Fight 2
14/11/15
3
5:0
Finalização (Rear-Naked Estrangulamento)
VFC 4 - Velame Fight Combat 4
12/09/15
1
2:5
Finalização (Triângulo)
BFC 2 - Banzay Fight Championship 2
16/05/15
1
1:5
Finalização (Rear-Naked Estrangulamento)
MMASH - MMA Super Heroes 7
15/11/14
2
4:3
Finalização (Rear-Naked Estrangulamento)
The Iron Fight 2.0 - MMA Tournament
21/12/13
3
N/A
Finalização (Rear-Naked Estrangulamento)
PFL - Premier Fight League 10
15/06/13
1
0:4



terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Suspenso por doping, Anderson Silva pede duelo de boxe contra Roy Jones, que aprova


Fonte: Super Esportes
Edição e arte: Jorge Luiz da Silva.
Imagens: Google.com.br (Arquivo ASES)
Serrinha, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)



Pugilista veterano diz que não se importaria com doping do brasileiro na luta

SUPERLUTA
Suspenso do Ultimate Fighting Championship por doping, Anderson Silva voltou a demonstrar vontade de realizar um antigo sonho: uma luta de boxe contra o ídolo Roy Jones Jr. O ‘Spider’ fez campanha para o duelo no ringue em diversas oportunidades, mas nunca recebeu a autorização do UFC. E o desafio do brasileiro de 42 anos animou o pugilista norte-americano. 

Inspirado no combate de boxe entre Floyd Mayweather e Conor McGregor - que terminou com vitória do pugilista sobre o representante do MMA, em agosto -, Roy Jones acredita que é o momento certo para o duelo contra Anderson Silva e disse não se importar com possível doping. 


  
Reprodução/UFC. Anderson Silva e Roy Jones Jr. querem duelo de boxe; suspensão do brasileiro é impedimento

“Eu ainda estou tentando lutar com Anderson Silva. Estamos tentando marcar a luta muito antes de Floyd Mayweather e Conor McGregor começarem a pensar nisso. Estamos tentando lutar há nove anos, mas não nos deram a chance. Já poderíamos ter feito isso há muito tempo. Eu não me importo com esteroides. Ele pode usar todo o esteroide que ele quiser, porque ele é o meu chapa. Mas não acho que ele vai usar algo contra mim. Mesm que as substâncias apareçam no organismo dele, eu não ligo”, declarou o veterano, em entrevista ao programa The Ask Gary Vee Show. 

Nas redes sociais, Anderson Silva voltou a pedir o duelo. “Isso é tudo o que eu quero por anos. Muito antes de tudo isso acontecer, será um prazer subir no ringue com você. Eu tenho muito respeito e admiração por tudo que você já fez no boxe. Todos sabem que esse tem sido o meu sonho. Vamos fazer esse evento acontecer. Acho que temos esse direito, já que nós dois estamos dispostos a fazer isso. Vamos fazer acontecer, senhor Roy”, publicou o ex-campeão dos médios do UFC no Instagram.


  


Apesar do desejo, Anderson Silva dificilmente terá a licença para lutar boxe, já que foi flagrado por doping pela segunda vez na carreira, no mês passado, às vésperas de enfrentar Kelvin Gastelum no UFC em Xangai. Suspenso preventivamente, ele ainda será julgado pela USADA, agência antidoping parceira do UFC, e a sanção deve ser respeitada pelas comissões atléticas. A última luta do brasileiro foi em fevereiro deste ano, na vitória sobre Derek Brunson, no UFC 208. 

Roy Jones Jr. já foi campeão no boxe em categorias como peso médio, super médio, meio-pesado e pesado. Em plena atividade, o pugilista de 48 anos tem cartel de 65 vitórias em 74 lutas. A última apresentação do norte-americano foi no triunfo por nocaute técnico sobre Bobby Gunn, em fevereiro.


segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Seleção feminina vence Itália e conquista 12º título de Grand Prix



Fonte: Super Esportes (Gazeta Press)
Edição e arte: Jorge Luiz da Silva.
Imagens: Google.com.br (Arquivo ASES)
Praia do Forte, BA (da redação itinerante do Esporte Comunitário)



Brasil abriu vantagem de seis títulos para os EUA, segundo colocado.
Divulgação/CBV


GRAND PRIX

 Brasileiras tiveram início de competição ruim, mas se superaram e conquistaram o título. 


  

A Seleção Brasileira de vôlei feminino venceu o Grand Prix após superar a Itália por 3 sets a 2, com parciais de 26/24, 17/25, 25/22, 22/25 e 15/8, neste domingo, em Nanquim, China. Com a vitória, o Brasil chega ao seu 12º título da competição, abrindo vantagem de seis conquistas em relação aos Estados Unidos, que é o segundo país mais vitorioso no torneio. 

A equipe de José Roberto Guimarães começou muito bem a partida e chegou a abrir 9 a 4 e foi para a primeira parada técnica com a vantagem de 12 a 9. Contudo, as italianas conseguiram empatar em um momento chave (18 a 18) e assumiram a liderança do placar. Apesar disso, as meninas do Brasil conseguiram se recuperar, empataram em 23 a 23 e buscaram a vitória no primeiro set em 26 a 24. 

Após a segunda parcial começar muito equilibrada, a seleção italiana conseguiu assumir a liderança no placar e passou a dominar o set. Em certo momento, a equipe europeia teve a vantagem de 19 a 13. O set terminou com o placar de 25 a 17. 

O terceiro set começou equilibrado assim como o segundo, entretanto aos poucos a equipe da Itália começou a desgarrar, chegando a abrir 19 a 13. Apesar disso, as comandadas de José Roberto Guimarães mostraram uma grande força de reação, buscaram o empate em 21 a 21 e fecharam a parcial por 25 a 22. 

As atletas italianas voltaram focadas para o quarto set e aos poucos foram construindo sua vantagem no placar, chegando a abrir seis pontos de vantagem. Apesar da Seleção ter esboçado uma reação e ter encostado (24 a 22), o time da Itália conseguiu fechar a parcial em 25 a 22 e levou a partida para o quinto e decisivo set. 

O Brasil entrou com tudo no último set e não deu margem para as italianas ameaçarem. Rapidamente o time de José Roberto Guimarães abriu vantagem de 10 a 4 e posteriormente fechou a partida com um 15 a 8. 

Sérvia fica em terceiro 

Durante a madrugada de sábado para domingo, a Sérvia conquistou o bronze do Grand Prix após superar a China por 3 sets a 1, com parciais de 25/22, 20/25, 25/23 e 25/21, em jogo disputado em Nanquim, China. As sérvias foram derrotadas na semifinal pela Seleção Brasileira.